BLOG

Controle de maneira eficiente as operações comerciais de sua empresa definindo metas de vendas, comissões, inventários, demandas de compra, financeiro e muito mais.

Você sabe a diferença entre NFS-e, NF-e, NFC-e e Cupom Fiscal ? Entenda as diferenças e pra que cada um serve!

O sistema tributário brasileiro é conhecido pela sua complexibilidade. Nos últimos tempos, é comum surgirem novos termos em adição aos termos já existentes dentro do contexto fiscal, o que acaba criando, muitas vezes, uma certa confusão. Entenda a diferença entre os documentos fiscais brasileiros.

Cupom Fiscal - Foi criado para substituir a nota fiscal de venda ao consumidor modelo 2, seu propósito é contabilizar o ICMS das mercadorias comercializadas pelo varejo para o cliente final. A obrigatoriedade da emissão desse documento varia de cada estado. O Cupom Fiscal é emitido por uma impressora especial chamada ECF (Emissor de Cupom Fiscal). O PAF-ECF é uma iniciativa nacional que foi criada para unificar as regras de desenvolvimento de softwares que utilizem o ECF.

NF-e: Nota Fiscal Eletrônica - A NF-e faz parte do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), criado para a substituição da Nota Fiscal Modelo 1 e 1ª que eram utilizadas em transações comerciais entre pessoas jurídicas. A NF-e é igual para todos os estados, e permite um acompanhamento em tempo real pelo fisco, além da economia nas impressões devido ao fato de ser um documento eletrônico.

NFC-e: Nota Fiscal de Consumidor Eletrônico - A NFC-e é um documento de existência eletrônica, sua função é a mesma do Cupom Fiscal, porém, vem tomando seu lugar aos poucos. Sua principal vantagem é não precisar de uma impressora específica para sua emissão, barateando os custos no processo. Para o fisco o processo também é mais simples, pois os dados do documento emitido são enviados imediatamente para o banco de dados do governo, permitindo uma fiscalização mais rápida e eficiente.

NFS-e: Nota Fiscal de Serviço Eletrônica - A NFS-e é um documento eletrônico utilizada por prestadores de serviços, o maior interessado é o fisco municipal, pois o ISS, um dos impostos recolhidos pela NFS-e é repassado ao município. O único entrave nesse processo é que cada prefeitura pode escolher o modelo de NFS-e e o provedor que quer trabalhar, obrigando o desenvolvedor do software a se adequar ao modelo adotado por cada município em questão. Esse foi um pequeno resumo dos principais documentos fiscais brasileiros. O Sistema Control trabalha a par de todas as exigências fiscais, tendo os documentos acima homologados e prontos para o uso.

Acompanhe nosso blog e fique por dentro de mais novidades!

Compartilhe:

Comente:

Voltar
Não perca tempo e
oportunidades para sua empresa