BLOG

Controle de maneira eficiente as operações comerciais de sua empresa definindo metas de vendas, comissões, inventários, demandas de compra, financeiro e muito mais.

4 dicas para abrir o próprio negócio sem gastar muito

O sonho de empreender movimenta pelo menos 28% dos trabalhadores brasileiros, segundo dados do Data Popular. Mas, na prática, a teoria é outra, quando acumulam um valor ideal para começar o próprio negócio, o medo de se dar mal e acabar com as economias às vezes fala mais alto. Resultado: optam por não empreender.

Por outro lado, há quem prefira iniciar um pequeno negócio com baixo investimento, com custos e lucratividade menores, mas com menos riscos caso a ideia não transcorra conforme o esperado. Nestes casos, vale a pena seguir as dicas que preparamos para quem quer ser o próprio chefe, mas não se importa em começar pequeno.

1) Invista naquilo que você faz de melhor:

O que você faz de melhor e que poderia se transformar em uma renda extra ou um novo negócio? O desafio de empreender exige que o profissional seja realmente especialista  no que faz para que se sobressaia dentre a concorrência. Por isso, é importante investir em uma área que ele não só conheça, como, preferencialmente tenha experiência. Isso porque, muitos pequenos empreendedores iniciar os seus negócios sozinhos, e assim o levam por um bom tempo. Por isso, é importante dominar o processo do início ao fim, para que se possa garantir a qualidade do produto ou serviço a ser comercializado.

2) Trabalhe realmente duro em cima da sua ideia:

Independentemente do que você queira fazer ou em que área pretende investir, lembre-se que ser empreendedor é trabalhar duro no seu novo negócio. Por isso, acumular funções é tão comum para quem empreende. E trabalhar até mais tarde durante vários dias consecutivos também!

3) Utilize seu próprio espaço, se possível:

Empreender é sinônimo de enxugar os custos e otimizar todos os recursos disponíveis. Por isso, é tão importante repensar todo investimento que será feito sem a real necessidade. Quer um exemplo? Se o seu negócio é digital e você dificilmente atende ao público final presencialmente, opte por ocupar aquele cantinho da sua residência para trabalhar, ao invés de alugar uma sala comercial ou mesmo um espaço em um coworking. Os encontros presenciais podem ocorrer num café, e além de você não ter gastos com a locação, ainda tende a ser superagradável. É claro que, conforme o seu negócio for crescendo, você precisará de um espaço maior. Entretanto, procure sempre economizar.

4) Dê atenção aos negócios digitais:

De acordo com um estudo do SEBRAE, a evolução nas taxas de empreendedorismo no Brasil é animadora: saltando de 34,4% em 2014 para 39,3% em 2015.  E empreender utilizando a ajuda de um único computador com acesso à internet  então, parece ainda mais fácil do que se imagina. Como a área demanda de pouco investimento, acaba virando destino de empreendedores que vão de gestores de conteúdos em redes sociais, a representantes e web varejistas. O fato é que, com custo menor do que uma suposta loja física, tudo será mais fácil.

Gostou desta matéria? Faça o download do nosso E-book Guia da Pequena empresa 2016 clicando aqui.

Guia da Pequena Empresa 2016

 

Compartilhe:

Comente:

Voltar
Não perca tempo e
oportunidades para sua empresa